domingo, 2 de julho de 2017

QUEM DELIRA?

O delírio é considerado um sintoma (perigoso) pela psiquiatria. Na fenomenologia ele é um modo de existência, um ser-no-mundo. Para Freud, uma defesa contra o desejo homossexual. E em Lacan? Este o via como uma espécie de "buraco" no simbólico, mais elegantemente chamado de foraclusão. Pensamos outra coisa: através das linhas abstratas de Deleuze-Guattari, concebemos o delírio como produção coletiva. Neste sentido, todos deliram, restando saber onde, quando, como, por que e para que. O desejo, em seus mil agenciamentos, responderá...


A.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário